Publicações

Noticia - Postado em 01/08/2013 21:24:51
Debate sobre EAD na Câmara teve participação da ABBTUR DF

 

PDF Imprimir E-mail
Escrito por Romulo Afonso 2012
 
Debate sobre PRONATEC mapeia avanços e desafios do programa
Anated foi debatedora na audiência
A Frente Parlamentar da Educação Profissional e Ensino a Distância, liderada pelo deputado federal Ângelo Agnolin (PDT), promoveu nesta quinta-feira, 17, na Câmara dos Deputados, debate sobre o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, o PRONATEC. Ministério da Educação, representantes de outras esferas do Governo, parlamentares, instituições do Sistema S e entidades ligadas ao ensino técnico e profissionalizante apontaram os avanços e os desafios do programa.
 
Marco Antônio de Oliveira, secretário Nacional de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, afirmou que o PRONATEC “avançou por dentro” e apontou a necessidade de se criar um mapa da educação profissional no Brasil, como forma de absorver a demanda reprimida por qualificação profissional. “Para que seja possível, inclusive, ter uma projeção à longo prazo, atendendo a todas as regiões do país” sugeriu.
 
O secretário elencou as iniciativas do programa neste ano, entre as quais, a criação de 99.149 Bolsas-Formação deEstudantese Trabalhadores, a expansão da rede técnica federal, sendo 90.563 vagas através do programa Brasil Profissionalizado e 150.000 através da Rede E-TEC (Educação Profissional e Tecnológica a Distância), além da oferta de 76.119 vagas por meio do Sistema S.
 
A expectativa do governo é que o PRONATEC crie 8 milhões de vagas em formação inicial e continuada nos próximos quatros anos, incluindo ensino profissional concomitante ao ensino médio e cursos de qualificação de pelo menos 160 horas.
 
O Gerente Executivo de Educação Profissional e Tecnológica-  SENAI (CNI), Rolando Vargas Vallejos, alertou para a evasão dos alunos que se inserem nos cursos profissionalizantes. “É preciso criar alternativas para a manutenção do aluno. Hoje o Senai, por exemplo, atende 10% da sua capacidade” afirmou. A representante do Ministro do Turismo, Susana Dickmann, dividiu a mesma opinião e afirmou que é preciso flexibilizar a carga horária dos cursos, investir na qualidade do ensino básico para garantir um ensino técnico efetivo.
 
O ponto alto da audiência foi marcado pelo debate sobre a inserção da modalidade EAD (Ensino à Distância) no Programa de Financiamento Estudantil – Fies. O Presidente da  Associação Brasileira dos Estudantes de Ensino a Distância (ABEED), Ricardo Holz, disse acreditar que o acesso ao financiamento de cursos superiores nessa modalidade democratiza o ensino técnico e superior, além de contribuir para formação de grande parte do contingente dos trabalhadores.
 
“O apagão de mão de obra é um tema extremamente importante, principalmente quando o assunto é o desenvolvimento do Brasil” disse o presidente da Frente, deputado federal Ângelo Agnolin. Ele acentuou que o PRONATEC terá um papel decisivo na formação de profissionais para Copa do Mundo de 2014. “Atualmente faltam profissionais qualificados em todas as áreas e em todos os níveis. Vimos que o programa do governo é bom e objetivo, mas ainda precisa ser discutido sobre a forma de atuação,” relatou.
 
Debatedores
 
Participaram da audiência, o coordenador do e-TEC do Ministério da Educação, Fernando Amorim; a coordenadora-Geral de Certificação e Orientação Profissional do Ministério do Trabalho e Emprego, Mariângela Rodrigues; diretora do CETEB (Centro Tecnológico de Brasília), Rosa Pessini; professor da Universidade de Brasília – UNB, Marcos Formiga; presidente da ANATED (Associação Nacional dos Tutores de Educação a Distância), Luis Gomes; presidente da ANEAD  (Associação Nacional de Mantenedores de Polos de Educação a Distância, Martha Kratz; coordenadora de qualificação profissional do SEST/SENAT (Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional  de Aprendizagem do Transporte), Emiria Bertino; presidente da ABBtur/DF- Associação Brasileira de Bacharéis em Turismo, Ítalo Oliveira Mendes; Além dos deputados federais, Esperidião Amin- (PP/SC), Fernando Ferro- (PT/PE) e Jorge Mello- (PSDB/SC)

Debate sobre PRONATEC mapeia avanços e desafios do programa Anated foi debatedora na audiênciaA Frente Parlamentar da Educação Profissional e Ensino a Distância, liderada pelo deputado federal Ângelo Agnolin (PDT), promoveu nesta quinta-feira, 17/06/2012, na Câmara dos Deputados, debate sobre o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, o PRONATEC. Ministério da Educação, representantes de outras esferas do Governo, parlamentares, instituições do Sistema S e entidades ligadas ao ensino técnico e profissionalizante apontaram os avanços e os desafios do programa.


Marco Antônio de Oliveira, secretário Nacional de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, afirmou que o PRONATEC “avançou por dentro” e apontou a necessidade de se criar um mapa da educação profissional no Brasil, como forma de absorver a demanda reprimida por qualificação profissional. “Para que seja possível, inclusive, ter uma projeção à longo prazo, atendendo a todas as regiões do país” sugeriu.


O secretário elencou as iniciativas do programa neste ano, entre as quais, a criação de 99.149 Bolsas-Formação de Estudantes e Trabalhadores, a expansão da rede técnica federal, sendo 90.563 vagas através do programa Brasil Profissionalizado e 150.000 através da Rede E-TEC (Educação Profissional e Tecnológica a Distância), além da oferta de 76.119 vagas por meio do Sistema S.


A expectativa do governo é que o PRONATEC crie 8 milhões de vagas em formação inicial e continuada nos próximos quatros anos, incluindo ensino profissional concomitante ao ensino médio e cursos de qualificação de pelo menos 160 horas.


O Gerente Executivo de Educação Profissional e Tecnológica-  SENAI (CNI), Rolando Vargas Vallejos, alertou para a evasão dos alunos que se inserem nos cursos profissionalizantes. “É preciso criar alternativas para a manutenção do aluno. Hoje o Senai, por exemplo, atende 10% da sua capacidade” afirmou. A representante do Ministro do Turismo, Susana Dickmann, dividiu a mesma opinião e afirmou que é preciso flexibilizar a carga horária dos cursos, investir na qualidade do ensino básico para garantir um ensino técnico efetivo.


O ponto alto da audiência foi marcado pelo debate sobre a inserção da modalidade EAD (Ensino à Distância) no Programa de Financiamento Estudantil – Fies. O Presidente da  Associação Brasileira dos Estudantes de Ensino a Distância (ABEED), Ricardo Holz, disse acreditar que o acesso ao financiamento de cursos superiores nessa modalidade democratiza o ensino técnico e superior, além de contribuir para formação de grande parte do contingente dos trabalhadores.
“O apagão de mão de obra é um tema extremamente importante, principalmente quando o assunto é o desenvolvimento do Brasil” disse o presidente da Frente, deputado federal Ângelo Agnolin. Ele acentuou que o PRONATEC terá um papel decisivo na formação de profissionais para Copa do Mundo de 2014. “Atualmente faltam profissionais qualificados em todas as áreas e em todos os níveis. Vimos que o programa do governo é bom e objetivo, mas ainda precisa ser discutido sobre a forma de atuação,” relatou.


Debatedores
Participaram da audiência, o coordenador do e-TEC do Ministério da Educação, Fernando Amorim; a coordenadora-Geral de Certificação e Orientação Profissional do Ministério do Trabalho e Emprego, Mariângela Rodrigues; diretora do CETEB (Centro Tecnológico de Brasília), Rosa Pessini; professor da Universidade de Brasília – UNB, Marcos Formiga; presidente da ANATED (Associação Nacional dos Tutores de Educação a Distância), Luis Gomes; presidente da ANEAD  (Associação Nacional de Mantenedores de Polos de Educação a Distância, Martha Kratz; coordenadora de qualificação profissional do SEST/SENAT (Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional  de Aprendizagem do Transporte), Emiria Bertino; presidente da ABBTUR/DF- Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais do Turismo, Ítalo Oliveira Mendes; Além dos deputados federais, Esperidião Amin- (PP/SC), Fernando Ferro- (PT/PE) e Jorge Mello- (PSDB/SC


Autor: Romulo Afonso

voltar ver mais

 
 

 Parceiros