Publicações

Noticia - Postado em 31/03/2014 20:59:43
GT Turismo Náutico sem representatividade dos Turismólogos

 O Ministério do Turismo, por intermédio do Grupo de Trabalho Interministerial de Turismo Náutico, grupo consultivo-propositivo, após lançar processo criterioso para as entidades interessadas em pleitearem assento, selecionaram as entidades que pleiteavam contribuir com as discussões e construção de políticas públicas e o desencadeamento de ações necessárias para desenvolver  o segmento do Turismo Náutico no Brasil.

O grupo atualmente é composto por representantes de órgãos e entidades do setor público, da iniciativa privada e do terceiro setor convidados. O GT já realizou 21 reuniões e, desde a sua criação, em março de 2009, tem facilitado o desenvolvimento do segmento.

Na última reunião do  GT de Turismo Náutico,   realizada em 4 de fevereiro, foram iniciadas as apresentações das entidades inscritas no processo seletivo para compor o grupo. As quatro primeiras entidades, de acordo com a ordem de inscrição, candidatas a compor o grupo se apresentaram, restando ainda a apresentação da maior parte das candidatas.

A fim de que o processo fosse o mais equânime possível, os membros decidiram por realizar a votação somente após o término de todas as apresentações, bem como por convocar uma reunião extraordinária para realizá-las, tendo em vista que a próxima reunião ordinária está agendada para o mês de maio.

Dessa forma, foram convocadas para 18 de março, em reunião extraordinária,  as instituições que ainda não tinham se apresentado, na Embratur – SCN, Quadra 2, Bloco G em Brasília. Cada entidade teve direito a 10 minutos de apresentação e a 10 minutos de debate, em existindo.   

Com vistas a facilitar a decisão, os membros também solicitaram o envio de uma apresentação resumida de todas as entidades candidatas, reforçando sua atuação, composição e relação com o turismo náutico. Esta deveria ter no máximo 7 slides e ser remetida até o dia 06 de março, para serem encaminhada aos membros antes da reunião , salientando as razões da candidatura, bem como as contribuições que a entidade tem a fornecer ao grupo. Além de uma longa ficha de inscrição, com questionário extenso, e em anexo Estatuto atualizado e lista de representados (associados/afiliados/sindicalizados) ligados a entidade.

Seriam selecionadas até seis entidades para compor o GT de Turismo Náutico, sendo até cinco associações, federações, sindicatos e entidades de classe com representatividade nacional, atuantes no turismo náutico e uma instituição de ensino atuante no turismo náutico. Para se candidatar à seleção foi preciso atender aos requisitos.   

 

Entre os avanços alcançados pelo grupo nos últimos anos está a adequação de questões tributárias, em parceria com a Receita Federal, e a autorização para a construção, exploração e ampliação de terminal portuário de uso privativo de turismo para a movimentação de passageiros, em parceria com a Agência Nacional de Transportes Aquaviários.

O Brasil apresenta um dos maiores potenciais de desenvolvimento do Turismo Náutico do mundo. São 8.500 km de linha de costa, 35 mil km de vias internas navegáveis, 9.260 km de margens de reservatórios de água doce, lagos e lagoas. “A orla brasileira é prioridade do Plano Nacional de Turismo. A expectativa é que possamos desburocratizar o marco regulatório e criar um ambiente de investimentos nessa área”, disse o Secretário Nacional de Políticas do Turismo, Vinícius Lummertz.

Até 30 dias após a aprovação das novas entidades será publicada uma portaria com as novas entidades participantes.  Entre os assuntos a serem discutidos, este ano, está a proposta de confecção de guia de boas práticas ambientais para construção de marinas e pontos de apoio, agenda comercial de participação em eventos internacionais, atualização de resoluções e normativas de órgãos federais e a proposta de torre de controle de cruzeiros marítimos.

Portanto, fomos informados que, por decisão dos presentes à reunião extraordinária do GT de Turismo Náutico nossa entidade não foi selecionada. O grupo considerou que outras seis entidades candidatos reuniam características mais adequadas às discussões efetuadas pelo grupo. Poderemos ser convocados quando da necessidade de articular com nossa categoria, força de trabalho qualificada para qualquer segmento de turismo, sobretudo pelo potencial empreendedor nas atividades de passeios e entretenimento náutico.

Para compor o GT Turismo Náutico foram selecionadas as seguintes entidades:

 Instituto Ambiental Ratones;

SEMAR – Sindicato das Empresas de Marinas e Similares;

ACOBAR – Associação Brasileira dos Condutores de Barcos e seus implementos;

FNTTAA – Federação Nacional dos Trabalhadores de Transportes Aquaviários e Afins;

ANEPE – Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva e

ANPTUR – Associação de Ensino e Pós Graduação em Turismo

E não foram selecionadas as seguintes entidades:

ABTRA – Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados;

ACATAMAR – Associação Náutica Catarinense para o Brasil;

FENAMAR – Federação Nacional das Agências de Navegação Marítima e

ABBTUR – Associação Brasileira de Turismólogos e Profissionais do Turismo

Vale salientar que nenhuma IES se candidatou, ficando a AMPTUR representando a academia na vaga sugerida pela seleção. 

voltar ver mais

 
 

 Parceiros